Archive for the ‘ Artur Borges Frechou ’ Category

Mountain Bike na Serra da Mantiqueira – finalmente saiu da gráfica!

Mountain Bike na Serra da Mantiqueira

Após um ano de levantamentos e mais de 730km de trilhas mapeadas, finalmente saiu da gráfica o guia Mountain Bike na Serra da Mantiqueira, com 32 trilhas detalhadas pelas cidades de Campos do Jordão, São Bento do Sapucaí e sul de Minas Gerais (Gonçalves, Paraisópolis e Sapucaí-Mirim).

Com 96 páginas no formato de bolso, o guia que custa R$ 20,00 poderá ainda ser acompanhado de um DVD (R$ 5,00) contendo os arquivos GPS das trilhas que constam na publicação, mais algumas trilhas bônus, além de vídeos.

O Guia estará em breve à venda nas lojas especializadas, mas já pode ser adquirido por correio no site https://mantiqueirabikers.wordpress.com/guia-mtb-serra-da-mantiqueira/

Boas pedaladas mantiqueirenses!

Sistema de paginação e descrição das rotas.

Anúncios

Trilha do Trilho

Início da trilha do trilhos da EFCJ

Segunda-feira passada, o Artur e o Vitor levantaram mais uma planilha da trilha que segue pelos trilhos da Estrada de Ferro Campos do Jordão, e que o Marcio Prado e o Luciano Corrêa haviam nos indicado acrescentar no Guia de MTB da Serra da Mantiqueira.
Pegue aqui o link para GPS: http://www.everytrail.com/view_trip.php?trip_id=1773184

Você vai passar por várias estações, onde pode abastecer-se de água

Ponte férrea. Cuidado para não cruzar com o trem neste momento!

Paiol Grande – Baú – Monjolinho

Quase virando para o vale do Monjolinho

A missão desta vez era procurar uma trilha que seguia do bairro Paiol Grande até o Monjolinho. Então…

Saindo da praça de São Bento do Sapucaí, seguimos Artur, Marcio Bruno e eu em direção ao bairro do Paiol Grande, em uma subida de 10km em asfalto. Após uma longa subida, chegamos à casa do Chico Bento, que é o início da caminhada para a Pedra do Baú e Ana Chata.

Riacho no Monjolinho, quase perto do asfalto

Resolvemos continuar por uma estrada de terra que seguia à direita da pedra, onde fizemos um downhill bem longo por uma estrada cheia de cascalhos. Nesta parte a trilha é bem técnica e você tem que tomar muito cuidado ou ir empurrando.

Não é uma das melhores trilhas da região, mas é um caminho inédito, com visuais dos vales que nós não conhecíamos. Então já valeu demais o rolê e ver o Marcio Bruno cheio de cãibras no final.

Grande volta do Serrano

Na tarde de ontem, eu e meu pai resolvemos procurar uma trilha que nos levaria do Bairro dos Serranos até Sapucaí-Mirím MG. Como não conhecíamos o caminho, dei uma olhada no Google Maps e como conhecia alguns pontos de referência, encontrei uma estrada que seguia este nosso objetivo.

Subida pelo Bairro do Campestre, em São Bento do Sapucaí SP

O primeiro trecho foi o mais cansativo, de uns 3 a 4km de morros onde o pedal era forte. As subidas acabaram logo na divisa SP/MG, onde começa a descida até o Bairro dos Pires em Sapucaí-Mirím MG  até o centro desta cidade. Essa descida é bem legal, começa num reflorestamento de eucaliptos e termina numa estrada.

Descida até o centro de Sapucaí-Mirím MG

Do centro de Sapucaí-Mirím até nossa casa foi tranquilo, mais ou menos 12km sem muito desnível.

Pai na pilotagem da magrela

Até o próximo rolê,

falou!

Mapa do rolê

Martins / Mundo Novo – Gonçalves MG

Início do role

Ontem o destino foi Gonçalves, não tínhamos uma trilha definida, apenas um mapa que fomos descobrir que estava errado no meio do caminho. Existem muitas bifurcações que não constavam no mapa, e como ele não marcava a quilometragem, passamos batido por uma delas e só fomos descobrir 2km depois nos custando 4km a mais no percurso.

Tínhamos a informação que o Bairro Mundo Novo é um lugar bacana de se conhecer, porque é um povoado situado bem na Serra de Gonçalves. O Gabriel,  amigo biker de São Bento já havia feito uma parte desse rolê, mas ele saira do Bairro do Ribeirãozinho, o que lhe custou mais de 10km de subida forte. Nós preferimos sair do centro de Gonçalves.

O  caminho é muito bonito, começando por uma estrada bem arborizada com araucárias, e depois segue por uma região com colinas a perder de vista bem típica do estado de Minas Gerais. São muitas subidas e descidas, mas nada que não dê para fazer pedalando o tempo todo. Só numa delas tivemos ( eu e meu pai ) que descer da bike e empurrar, o Vitor conseguiu pedalar a piramba inteira.

Cachoeira dos Henriques

Mapa

Após uma hora de pedal chegamos à Cachoeira dos Henriques, que é bem legal para tomar um banho e se refrescar. Dali esticamos até o Martins e descobrimos que havíamos passado a bifurcação para o Mundo Novo. Não bastasse isso, uma das estradas não existia, segundo o pessoal do bairro. Sem ter o que fazer voltamos ao Henriques nos informando até o Mundo Novo. Felizmente achamos pessoas que nos informaram, caso contrário iríamos nos ferrar de novo, pois são muitas as encruzilhadas até Gonçalves.

Percurso bem arborizado com vários locais para descansar

A banda deu 23km e mapeamos tudo para facilitar a vida de quem for repetir este roteiro.

Rangão no final, mais que merecido no Restaurante Passatempo Slow em São Bento do Sapucaí

Córrego da Foice / Quilombo

Saímos do centro em direção ao Bairro Córrego da Foice, que fica no município de Gonçalves. A idéia hoje era mapear uma trilha fácil de no máximo 3 horas.

Saindo da praça de São Bento, andamos 6km na estrada de terra que segue a SP-42 e entramos em uma estrada de paralelepípedos que dá o acesso ao Bairro do Quilombo.

Quase no final da estrada de terra.

Seguindo em cerca de 15 minutos por esta estrada, iniciou a subida num pasto à direita da estrada.

A trilha ainda é pouco batida e é preciso pular cercas para completar a missão de chegar a nosso destino que é o Quilombo. A partir dai é necessário abrir seu próprio caminho no pasto.

No alto da montanha, cruzando a cerca para descer o Vale do Quilombo.

O último trecho do Bairro do Quilombo até o centro é asfaltado e não passa de 2km até a praça do centro da cidade de São Bento do Sapucaí.

Descida no pasto.

Falo ai galera, até a próxima.

Trilha do Zig Zag

Pôr-do-sol no caminho de volta.

Fomos ontem para Campos do Jordão, para fazer uma trilha clássica da região, conhecida como Zig Zag. Chegando à Campos encontramos com Luciano Corrêa e Marcio Prado no Portal, 1km antes do início da trilha. Saindo de Campos, seguimos pelo asfalto até uma estrada de terra à 1km do Portal, onde começa o Downhill até o Lageado. Quando chegamos neste bairro rural, o odômetro marcava 5km de descida técnica, na qual meu pai tomou um tombo onde ralou o ombro.

Eliseu descendo a piramba. Foto: Luciano Corrêa

Após o bairro Lageado, seguimos subindo até a rodovia que corre de Santo Ântonio do Pinhal à Campos do Jordão, onde tivemos de pagar todos os nossos pecados, numa subida de mais de 10km.

Valeu galera por nos levar nesta trilha incrível e com certeza vamos voltar lá outras vezes e soltar o freio! ISSAAAAAAAAAAAA!

Preparando as bikes para o ride.

Início do Zig Zag

Marcio e Luciano "Tijolo", já quase no Lageado.