Archive for the ‘ Vitor Borges Frechou ’ Category

Trilha do Trilho

Início da trilha do trilhos da EFCJ

Segunda-feira passada, o Artur e o Vitor levantaram mais uma planilha da trilha que segue pelos trilhos da Estrada de Ferro Campos do Jordão, e que o Marcio Prado e o Luciano Corrêa haviam nos indicado acrescentar no Guia de MTB da Serra da Mantiqueira.
Pegue aqui o link para GPS: http://www.everytrail.com/view_trip.php?trip_id=1773184

Você vai passar por várias estações, onde pode abastecer-se de água

Ponte férrea. Cuidado para não cruzar com o trem neste momento!

Anúncios

Paiol Grande – Baú – Monjolinho

Quase virando para o vale do Monjolinho

A missão desta vez era procurar uma trilha que seguia do bairro Paiol Grande até o Monjolinho. Então…

Saindo da praça de São Bento do Sapucaí, seguimos Artur, Marcio Bruno e eu em direção ao bairro do Paiol Grande, em uma subida de 10km em asfalto. Após uma longa subida, chegamos à casa do Chico Bento, que é o início da caminhada para a Pedra do Baú e Ana Chata.

Riacho no Monjolinho, quase perto do asfalto

Resolvemos continuar por uma estrada de terra que seguia à direita da pedra, onde fizemos um downhill bem longo por uma estrada cheia de cascalhos. Nesta parte a trilha é bem técnica e você tem que tomar muito cuidado ou ir empurrando.

Não é uma das melhores trilhas da região, mas é um caminho inédito, com visuais dos vales que nós não conhecíamos. Então já valeu demais o rolê e ver o Marcio Bruno cheio de cãibras no final.

Pelas bordas de Minas

Orlando no reflorestamento logo após sairmos da estrada do Toldi

Hoje saímos sem destino. O amigo Marcio Prado, havia me comentado de uma trilha que saía perto do Pesca na Montanha, um ecoparque que fica na estrada que liga Campos do Jordão a São Bento do Sapucaí.

Partimos Orlando Mohallen, Vitor e eu, as 13h00 da sede da Montanhismus com as 3 bikes na Botinha, quer dizer, Doblò. Estacionamos no Pesca e seguimos sentido Luminosa, por uma estrada de terra bem batida e muito arborizada. Lindas vistas e o frescor da mata eram entrecortados por alguns trechos desmatados, e num deles, o Orlando pode distinguir o visual da Pedra da Chita, de mais de 2000m de altitude.

Vitor fazendo amigos pelo caminho

Vale de Luminosa, pouco antes de sairmos da estrada que leva até esta vila.

Orlando no single track na crista de uma montanha na qual pedalamos mais de 1km

Ladeira maldita!!!!! Felizmente é pequena.

Na descida para Luminosa, o Orlando teve a excelente idéia de seguir por uma quebrada que nos levou, um quilômetro à frente, à um single track beeeeem bacana. A trilha entrou numa floresta de pinheiros e depois de mata nativa, passamos por uma cabana semi-construída-abandonada e logo em seguida, uma estrada maior. Desta estrada, um downhill “pra sortar os freio” nos despejou na estrada que une o Bairro da Campista em Campos do Jordão à Piranguçú. Alí, o odômetro marcava 10km. Mais 12km e chegamos ao carro. Linda trilha. Valeu parsas!

No final do rolê, um pneu furado nos forçou uma parada. Leve sempre uma câmara extra.

Córrego da Foice / Quilombo

Saímos do centro em direção ao Bairro Córrego da Foice, que fica no município de Gonçalves. A idéia hoje era mapear uma trilha fácil de no máximo 3 horas.

Saindo da praça de São Bento, andamos 6km na estrada de terra que segue a SP-42 e entramos em uma estrada de paralelepípedos que dá o acesso ao Bairro do Quilombo.

Quase no final da estrada de terra.

Seguindo em cerca de 15 minutos por esta estrada, iniciou a subida num pasto à direita da estrada.

A trilha ainda é pouco batida e é preciso pular cercas para completar a missão de chegar a nosso destino que é o Quilombo. A partir dai é necessário abrir seu próprio caminho no pasto.

No alto da montanha, cruzando a cerca para descer o Vale do Quilombo.

O último trecho do Bairro do Quilombo até o centro é asfaltado e não passa de 2km até a praça do centro da cidade de São Bento do Sapucaí.

Descida no pasto.

Falo ai galera, até a próxima.

Trilha Serranos / Sítio

Saindo do bairro dos Serranos.

Na sequência dos trabalhos de levantamento de trilhas para o nosso guia, ontem saímos de casa em direção à Sapucaí – Mirim, com um colega de escola chamado Matheus. Logo de começo já nos deparamos com uma subida de 3km saindo da estrada… Depois de toda aquela piramba, passamos por um longo pasto, onde no final encontramos uma cerca que segundo o GPS, marcava a divisa de estado SP/MG.

Matheus com Baú ao fundo.

Fizemos um downhill, descendo em direção à cidade mineira, onde encontramos uma estrada de terra que dá acesso ao bairro do Sítio (São Bento do Sapucaí). Descendo mais um pouco, chegamos na rodovia e finalizamos esse pedal ao chegar na praça de São Bento.

Mapa da trilha

Trilha do Zig Zag

Pôr-do-sol no caminho de volta.

Fomos ontem para Campos do Jordão, para fazer uma trilha clássica da região, conhecida como Zig Zag. Chegando à Campos encontramos com Luciano Corrêa e Marcio Prado no Portal, 1km antes do início da trilha. Saindo de Campos, seguimos pelo asfalto até uma estrada de terra à 1km do Portal, onde começa o Downhill até o Lageado. Quando chegamos neste bairro rural, o odômetro marcava 5km de descida técnica, na qual meu pai tomou um tombo onde ralou o ombro.

Eliseu descendo a piramba. Foto: Luciano Corrêa

Após o bairro Lageado, seguimos subindo até a rodovia que corre de Santo Ântonio do Pinhal à Campos do Jordão, onde tivemos de pagar todos os nossos pecados, numa subida de mais de 10km.

Valeu galera por nos levar nesta trilha incrível e com certeza vamos voltar lá outras vezes e soltar o freio! ISSAAAAAAAAAAAA!

Preparando as bikes para o ride.

Início do Zig Zag

Marcio e Luciano "Tijolo", já quase no Lageado.