Posts Tagged ‘ Campos do Jordão ’

Mountain Bike na Serra da Mantiqueira – finalmente saiu da gráfica!

Mountain Bike na Serra da Mantiqueira

Após um ano de levantamentos e mais de 730km de trilhas mapeadas, finalmente saiu da gráfica o guia Mountain Bike na Serra da Mantiqueira, com 32 trilhas detalhadas pelas cidades de Campos do Jordão, São Bento do Sapucaí e sul de Minas Gerais (Gonçalves, Paraisópolis e Sapucaí-Mirim).

Com 96 páginas no formato de bolso, o guia que custa R$ 20,00 poderá ainda ser acompanhado de um DVD (R$ 5,00) contendo os arquivos GPS das trilhas que constam na publicação, mais algumas trilhas bônus, além de vídeos.

O Guia estará em breve à venda nas lojas especializadas, mas já pode ser adquirido por correio no site https://mantiqueirabikers.wordpress.com/guia-mtb-serra-da-mantiqueira/

Boas pedaladas mantiqueirenses!

Sistema de paginação e descrição das rotas.

Anúncios

Volta norte de Campos do Jordão

No topo do Imbiri. Metade do percurso

No topo do Imbiri, Marquinhos, Tijolo e eu. Metade do percurso apenas.

No domingo pela manhã recebi um telefonema do amigo Luciano “Tijolo” Corrêa de Campos do Jordão para um pedal bordeando a cidade no dia seguinte. Demorou! Apesar do cansaço do curso de escalada do final de semana e da gripe, segunda-feira nos encontramos e juntos com o Marquinhos da Bike Ação, partimos para um rolê sensacional que contorna a cidade pela lado sul.

Marquinhos e Tijolo estreando a nova Clustler Bomb da Da Bomb

O pedal começa no Portal, desce pela SP 123, sobe rumo ao Palácio, entra em trilhas e estradinhas e segue até o Pico do Imbiri, ponto culminante do município. Do Imbiri, a descida é por uma trilha que começa bacana e depois fica difícil se mantar na bike, pois as erosões dos pneus de motocros literalmente cavaram valas e nos força a segurar a bike. Após um trecho rápido por ruas, entramos na trilha do morro do Elefante que é bem técnica e pra quem pedala forte é alucinante.

Somamos 26km de percurso. Mais um roteiro planilhado, que fará parte das trilhas bônus do DVD que vai acompanhar o Guia de MTB da Serra da Mantiqueira, que já está na gráfica e com previsão de uma semana para ficar pronto.

Visual do Imbiri

Visual do Imbiri

Mapa do rolê

Trilha do Trilho

Início da trilha do trilhos da EFCJ

Segunda-feira passada, o Artur e o Vitor levantaram mais uma planilha da trilha que segue pelos trilhos da Estrada de Ferro Campos do Jordão, e que o Marcio Prado e o Luciano Corrêa haviam nos indicado acrescentar no Guia de MTB da Serra da Mantiqueira.
Pegue aqui o link para GPS: http://www.everytrail.com/view_trip.php?trip_id=1773184

Você vai passar por várias estações, onde pode abastecer-se de água

Ponte férrea. Cuidado para não cruzar com o trem neste momento!

Artur passando pelo Lajeado, ponto férreo mais alto do Brasil

Artur passando pelo Lajeado, ponto férreo mais alto do Brasil

Artur passando pelo Lajeado, ponto férreo mais alto do Brasil

Mas será o Batman?

Subida da Campista. Cabulosa.

Ainda bem que o quadro da bike é de alumínio, caso contrário, o sal do meu suor já o teria consumido. A subida da estrada da Campista, que começa no Paiol Grande e termina no Pesca na Montanha é de fazer a gente suar feito numa sauna. O suor mina da testa, escorre pelo nariz, pelo queixo, encharca a camisa, as alças da mochila… ô desgraça.

Desde o início de dezembro que eu não pedalava pelas serras. Tenho mantido o treino, mas o levantamento de trilhas estava estacionado. Viajei com o Vitor e Artur pelo norte da Patagônia e tive que dar um tempo neste trabalho. Os posts desta viagem estão no meu blog da ESPN:
http://espn.estadao.com.br/eliseufrechou/post/234811_ROLES+PATAGONICOS+EL+BOLSON
http://espn.estadao.com.br/eliseufrechou/post/235620_ROLES+PATAGONICOS+CAJON+DEL+AZUL
http://espn.estadao.com.br/eliseufrechou/post/236565_ROLES+PATAGONICOS+CERRO+CATEDRAL+E+FREY

Anteontem o Silvério Nery me passou uma mensagem dizendo estar livre para um pedal no dia do aniversário de Sampa. Resolvemos tentar a trilha do Batman, que segundo o Paulão Menezes, seria fácil de achar. Fácil pra quem sabe, e eu, que não sou muito inteligente, vivo caindo nessa história.

Partimos de casa às 09h20, e pedalamos os 19km de asfalto até o ponto onde deveríamos entrar na terra. Eu conhecia o início, ou melhor, a saída do asfalto para a trilha, mas logo nos primeiros 200 metros já apareceram 2 possibilidades de caminho. Seguimos a segunda, que parecia ser a mais óbvia para desembocarmos na estrada do bairro do Baú.

Assim que saímos do asfalto da Campista, uns 300m após a entrada do caminho de terra que vai para o Bauzinho, subimos até um mirante no qual avistamos a Pedra do Baú. De lá, a trilha desce, sobe maqis um morro e entra numa floresta. Daí pra frente, a trilha estava bem suja, apesar de marcada. Muitos galhos, derrubados pelos temporais, impediam nossa pedalada, e o jeito foi empurrar mesmo. Mais uns metros, e outra bifurcação que descia nos levou a um campo de unhas-de-gato, uma famigerada planta cheia de espinhos. A trilha, que devido a erosão típica, deve ter sido muito usada para o motocross, era bastante estreita devido as voçorocas e por mais um certo tempo tivemos que segurar as bikes morro abaixo.

Visual diferente do Bauzão

Segundo topo, daí pra frente, a trilha entra numa floresta e desce em direção ao B. do Baú

Aos poucos, após um pinheiro marcado com uma seta, a trilha foi abrindo e o pedal se tornou possível. Saímos, umas centenas de metros à frente, numa clareira com 3 trilhas, na qual tivemos que adivinhar o caminho, e assim foi por mais 2 vezes. Felizmente acertamos e conseguimos sair em uma casa onde perguntamos sobre o caminho para a estrada do bairro do Baú. De lá, a estrada é sinalizada, e mais 2 horas com parada para um lanche, e chegamos em São Bento.

Na verdade, não estou bem certo de que trilha fizemos é o Batman que o Paulão havia me indicado. Nesta mesma região existem várias trilhas como o Tombo certo, Serrote e Serrotinho, então vou esperar repetir com os brothers para saber se fomos pelo caminho certo ou emendamos trilhas.

Acho que se a intenção do Silvério era de descansar nesse feriado, ele vai ter que descansar é hoje, no trabalho!

Na florestinha após os topos. a trilha vai ficando cada vez mais cheia de obstáculos.

Trilha do Zig Zag

Pôr-do-sol no caminho de volta.

Fomos ontem para Campos do Jordão, para fazer uma trilha clássica da região, conhecida como Zig Zag. Chegando à Campos encontramos com Luciano Corrêa e Marcio Prado no Portal, 1km antes do início da trilha. Saindo de Campos, seguimos pelo asfalto até uma estrada de terra à 1km do Portal, onde começa o Downhill até o Lageado. Quando chegamos neste bairro rural, o odômetro marcava 5km de descida técnica, na qual meu pai tomou um tombo onde ralou o ombro.

Eliseu descendo a piramba. Foto: Luciano Corrêa

Após o bairro Lageado, seguimos subindo até a rodovia que corre de Santo Ântonio do Pinhal à Campos do Jordão, onde tivemos de pagar todos os nossos pecados, numa subida de mais de 10km.

Valeu galera por nos levar nesta trilha incrível e com certeza vamos voltar lá outras vezes e soltar o freio! ISSAAAAAAAAAAAA!

Preparando as bikes para o ride.

Início do Zig Zag

Marcio e Luciano "Tijolo", já quase no Lageado.